Transposição semiótica: uma abordagem para a vida artificial

Autor: Carlos Eduardo Pires de Camargo

Data: 05/04/2016

GEMS 248 – TIDD/Depto de Computação/PUCSP

Resumo:

O tema central desta pesquisa encontra-se numa possível intersecção entre os campos da semiótica, computação e vida artificial. O termo Vida Artificial (Artificial Life, ALife ou simplesmente AL) foi criado por Christopher Langton em 1986 e se refere a um amplo esforço multidisciplinar que utiliza a simulação e a síntese de processos semelhantes aos processos vitais para atingir um dos seguintes objetivos: modelar a vida, desenvolver aplicações utilizando intuições e métodos inspirados em organismos vivos, ou mesmo criar vida. Esta pesquisa tem como interesse o segundo desses objetivos, ou seja, o estudo de comportamentos de organismos vivos como inspiração para a solução de problemas humanos através de softwares. O conceito de transposição semiótica será fundamentado no decorrer da pesquisa e tem como função atuar como elemento intermediário heurístico capaz de orientar o olhar do programador na investigação dos elementos essenciais do comportamento biológico observado.

Comments are closed.

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.